Porque eu faço CrossFit



IMG_4654

Créditos: The players tribune ®

 

A primeira vez que experimentei o CrossFit não entendi o espirito da coisa.

Eu frequentava academias convencionais regularmente desde o colegial e já estava envolvido com a musculação. Para mim, malhar tinha tudo a ver com rotina. Uma série de exercícios realizados em uma ordem definida por um período de tempo determinado. Mas em 2006 um amigo me mostrou um site chamado CrossFit e me despertou interesse logo de cara.

A primeira “rotina” que experimentei é chamada de “Fran”, e foi uma mistura de “Thrusters” e “pull-ups”. Eu ouvi as instruções e tentei seguir os outros o tanto quanto eu podia. Lentamente eu fiz todos os movimentos, e no final da “rotina” eu não me senti satisfeito. Na verdade, eu ainda lembro de querer fazer flexões depois da “Fran” pois eu achei que seria um treino mais completo. Se eu tivesse julgado CrossFit com base naquela única experiência, eu não acho que eu teria continuado. Mas eu decidi voltar e fazer mais algumas aulas.

Nove anos mais tarde, é justo dizer que o CrossFit definiu minha vida em muitos aspectos. Eu venci o segundo CrossFit Games em 2008, e agora possuo 20 boxes no mundo todo com minha esposa. E o que tornou tudo isto possível foi o ingrediente chave do CrossFit, que eu não tinha dado importância a primeira vez que eu tentei: a intensidade.

Na primeira vez que eu fiz o benchmark wod “Fran”, eu dei apenas de 75% do meu total, então eu só tive 75 por cento dos resultados que eu estava esperando. Enquanto outros métodos de treino focam em exercícios repetitivos e individuais, que visam músculos específicos, o CrossFit é baseado em uma série de diferentes exercícios que se complementam realizados para melhorar a sua capacidade. Sua autodeterminação é a força motriz para tudo.

Eu levei umas duas semanas para entender o conceito, mas depois, em três meses eu já estava completamente viciado. Não foi fácil me convencer pois eu era viciado em musculação, ao ponto de passar duas horas na academia malhando bíceps e tríceps – dividindo os treinos por parte do corpo. Mas depois de começar no CrossFit, eu comecei a ver esses ótimos resultados e malhando por menos tempo, e foi isto que definitivamente me chamou a atenção.

Quando as pessoas perguntam por que o CrossFit é tão diferente ou especial, eu costumo falar sobre duas coisas. A primeira é que ele coloca um temporizador para o seu treino, para que você possa quantificá-los, e, em seguida, se tentar bater o seu tempo anterior. Isto não é a mesma coisa que fazer o mesmo exercício todas as vezes, mas é se esforçar para fazer o melhor treino que você já fez. A competição pessoal é muito mais forte do que usar fones de ouvido e ficar olhando para os outros na academia.

E o segundo é o aspecto comunitário. Ter amigos que te animam e te motivam para o sucesso é uma força poderosa, incrível e também é diversão pura. A energia em boxes ou ginásios CrossFit é sempre super positiva, e de muitas maneiras, as vibrações podem ser benéficas a você como para qualquer outro aspecto do seu treino.

Curiosamente, os praticantes de CrossFit são conhecidos por se tornarem obcecados por este método.

Exatamente.

Nos Estados Unidos, um país que enfrenta uma epidemia de doenças relacionadas com a má saúde e “fitness”, eu não acho que seja ruim ter mais pessoas levando a sério seu condicionamento físico e saúde. O CrossFit não se restringe a um determinado tipo de pessoas. Entre em qualquer box e você encontrará pessoas de todas as formas, tamanho e idade. Todos os alunos no box estarão motivando um ao outro, estão todos motivados com o mesmo foco e um objetivo pessoal. Existe uma razão para as pessoas se tornem apaixonadas pela comunidade do CrossFit: Ela funciona.

Créditos: The players tribune ®

Créditos: The players tribune ®

Eu poderia escrever milhares de exemplos, mas vou citar apenas um. Uma certo dia um homem entrou em um dos nossos boxes corporativos, a Norcal tem alguns boxes dentro de empresas (e por motivos de privacidade vamos chamá-lo de Mike). Ele entrou no box e começou a olhar ao redor. Eu me apresentei e perguntei se ele estava pronto para experimentar o CrossFit. Ele disse: – Não. E explicou que não era um bom momento para ele, e foi embora.

Poucos meses se passam, e um dia eu o vi novamente e disse, “E ai Mike! Você está pronto para fazer CrossFit ? Eu adoraria ser seu coach. Eu poderia trabalhar com você individualmente, só nos dois, e eu vou montar um treino bem simples e fácil pra você.”

Mike fez uma pausa, olhou para mim e disse: “Quer saber Jason? Estou pronto.”

No dia seguinte, começamos as aulas particulares. Mike estava com quase 80 quilos acima do seu peso, e era notável que isto afetava sua auto estima e a maneira como ele se portava. Nós começamos devagar, e eu o encorajei a cortar refrigerante e excesso de açúcar fora de sua dieta. Mike começou frequentar o box regularmente, e no período de um ano, ele perdeu uns 50 quilos. Mas o mais incrível sobre sua transformação foi ver como isso afetou entre as orelhas. Agora, dois mais tarde, todas as vezes que o vejo, fico espantado com o quanto sua personalidade mudou. Ele não é mais desleixo, pelo contrario ele anda com muito mais energia e confiança. É nítido que o trabalho que ele fez no box resultou em efeitos positivos, e isto é o mais importante.

Um dos motivos que algumas pessoas hesitam em fazer CrossFit é essa ideia de que é perigoso. A realidade é que qualquer esporte tem algum tipo de risco de lesões, e muitas pessoas sofrem lesões com outros tipos de treino, sendo uma competição de fisiculturismo ou uma maratona. Mas por algum motivo, está ideia que o CrossFit é particularmente perigoso tem perpetuado.

Qualquer pessoa que já treinou pode confirmar, lesões ocorrem principalmente devido a maus hábitos. Existem bons treinadores no mercado, que fazer o possível para evitar que a aluno se lesione, seguindo uma metodologia da mecânica: Você pode executar bem um movimento? Você pode executar um movimento com consistência? E finalmente, você pode executar um exercício com intensidade? Treinadores devem garantir que todas estas três questões estão atendidas a fim de conter possíveis eventuais lesões.

Quando o aluno conseguir executar um movimento com intensidade, só então é que vamos pedir para aumentar a carga e volume. Em meus boxes as lesões são mínimas, e quando ouço falar de pessoas que se machucaram foi porque muitas vezes elas tentaram realizar esses exercícios em casa sem receber qualquer orientação ou supervisão anterior. Eu não posso falar por todos os box de CrossFit, mas em nossas academias, temos cerca de 3.000 pessoas por dia e raramente vemos lesões.

Créditos: The players tribune ®

Créditos: The players tribune ®

Mas afinal, o CrossFit existe para ajudar as pessoas a evitar lesões, ensinando como se mover corretamente. Uma boa instrução de CrossFit inclui variados movimentos funcionais executadas em sua melhor capacidade. Estes exercícios foram criados para o uso prático no dia a dia. Toda a nossa meta (e isso para mim é realmente o mais importante de entender) é treinar as pessoas o quanto melhor possível no box, a fim de ajudá-los fora do box. É ajudá-los a fazer coisas como levantar seus netos, pegar caixas ou fazer uma caminhada. Você faz CrossFit para que você possa se destacar em todas essas outras coisas.

Tem sido uma honra competir no CrossFit Games entre alguns dos melhores atletas do mundo, mas esta competição a é apenas uma maneira de expressar o CrossFit. A verdadeira magia acontece em pequenas garagens e galpões no mundo inteiro, onde pessoas comuns estão se esforçando para ficar ainda melhores.

Confie em mim, agora eu entendo.

 

JASON KHALIPA

Tradução: Mex Abrusio – www.amrap.com.br

Fonte: The Players Tribune – www.theplayerstribune.com

 

Você pode gostar...

%d blogueiros gostam disto: